quinta-feira, 2 de outubro de 2008

PORQUE NÃO?

Virar as costas à vida. Esquecer.
Fitar nas águas frias os olhos baços
Acreditar na verdade da mentira
E sorrir para mim assim quieta.
Tão fácil fingir que ainda aí estás
Que sou eu que distraída não te vejo
Ouvir mesmo os teus passos a chegar
E os teus braços enlaçar-me como dantes.
Porque não?
Se as minhas asas brancas se perderam
E não voo já nos nossos sonhos!!

2 comentários:

B. disse...

Quem dera minhas asas não fossem atrofiadas. Vida limitada de espaço é muito, muito chata.
Um beijo!

Morgana disse...

b.

As nossas asas somos nós que deixamos que nasçam ou morram...só nós.Vida fechada é sempre escolha nossa. Agora eu fechei o meu espaço porque quis, fechei as asas porque quis...e quero. Mas não tem de sempre assim, nem para toda a gente. Estique as suas, vai ver que estão lá!!!

Beijos.