sexta-feira, 28 de novembro de 2008

BLUE ICE


Queria a musica que ouviamos juntas, queria poder ouvi-la, senti-la de novo, mas não posso.
A musica é uma chicotada na verdade que eu gostava que tivesse sido.
Cada som da melodia é golpe de navalha, e o ritmo bate-me nas veias até à dor.
Por isso o silêncio me rodeia e só o silêncio me acalma e me dá à alma o gelo de não lembrar.
Onde estás tu? Por onde andas? Adivinho que estás triste e sei que não és feliz!
Sei, desse saber feito de te conhecer, dessa certeza do teu caminho dificil, da tua escolha obcecada, do teu querer não querer.
E fico triste também e também sou infeliz.
Vi-te chorar e não chorei. Todas as minhas lagrimas se esgotaram nas tuas mentiras, mas as tuas doem-me mais ainda por sabê-las verdadeiras, por não poder bebê-las e matar a sede que tenho de ti.
Nesta hora, na pausa da raiva, estendo as minhas asas que esfarrapaste, e tento chegar a ti com o calor de um adejo que te diga: apesar de tudo não estás sozinha, apesar de tudo, mesmo que não saibas, eu continuo aqui, onde sempre estive à tua espera.

6 comentários:

Dra. Gô disse...

Nossa. Totalmente melancólico e forte ao mesmo tempo. Traduzindo sentimentos intraduzíveis em palavras.
Bjo.

Morgana disse...

Oi Dra GÔ

É melancolia sim...e saudade...e alguma raiva...e muita dor!
Obrigada pela visita.
Beijos.

Alice disse...

Raiva passa, e se torna indiferença. E é ótimo quando se chega nesse estágio.

Morgana disse...

Alice
A raiva passa sim, e quando a indiferença chega é mais do que bem vinda, no entanto, e enquanto não chega há o imenso vazio frio e rarefeito à nossa volta.

simplesmenteeu disse...

Não mais, o vazio será tão frio...

Se fosse... eu recolhia-me ao corpo, sem pele, sem sonho, sem asa...porque a tua espera... tiraria o sentido do meu voo...
e a música, que queria ouvir contigo, não teria mais razão de ser ouvida...

Beijos

Morgana disse...

Simplesmenteeu

Uma noite de sonhos.

Um beijo silencioso, num rufar de asas.

Beijo

Morgana